“Politicamente, (Bosio) não é pessoa que faz bem à cidade”

As palavras acima foram ditas na última segunda-feira (26) pelo vereador e presidente eleito da Câmara Municipal de Brusque, André Vechi (DC), durante entrevista ao programa Rádio Revista Cidade, da Rádio Cidade. Ele fazia referência ao que considera ingerência e influência do ex-vereador e ex-secretário de desenvolvimento regional Jones Bosio na indicação de nomes para cargos na administração municipal de Brusque.

Vechi colocou a frase dentro de uma explanação a respeito dos manifestantes que foram às sessões da Câmara nos dias 15 e 20 para protestar contra a candidatura dele e sua chapa ao comando da casa. O motivo: a possível presença da vereadora Marlina Oliveira (PT) no grupo ou na composição da Mesa Diretora. Para Vechi, as pessoas no plenário desconheciam que o objetivo de sua eleição é de justamente cortar essa influência de Bosio nas decisões legislativas.

“Muita gente não sabia o que estava acontecendo e ouviram só a narrativa do zap. Eles não sabem que vamos acabar com supersalários de R$ 17 mil, de R$ 20 mil. Não sabem eu vamos cortar o cordão umbilical e de influência do Jones Bosio dentro da Câmara Municipal. Do ponto de vista pessoal, nunca me fez nada. Mas, politicamente, é uma pessoa que não faz bem para a cidade”, frisou Vechi na entrevista.

Ele disse que quem está na frente do Tiro de Guerra apoiando o presidente Jair Bolsonaro (PL) para acabar com a corrupção, com o mau uso do dinheiro público deveria, por coerência, apoiar uma gestão que vai, justamente, fazer isso.

“E que vai, também, tirara influência de um político multicondenado por improbidade, por fraude em licitação e que faz mal para a política da cidade. Estamos cortando esse cordão umbilical”, frisou Vechi.

O presidente eleito prosseguiu dizendo que essa influência na Câmara existe e um dos motivos é a presença da esposa de Bosio como chefe de gabinete de Alessandro Simas (PP). O mesmo poder que, acredita, haja dentro da Prefeitura.

“É um vínculo que amarra a Câmara de um jeito e não tem como dizer que ele não tem influência lá dentro. Do Executivo é um acordo dele com o prefeito pelos cargos que ele tem lá dentro. No Executivo não tenho como interferir, mas, na Câmara, vamos cortar esse vínculo. A Câmara vai ser independente e vai se desfazer dessas pessoas que que, desculpem, não têm interesse público em fazer o bem para a cidade”, destacou André Vechi.

Na manhã desta quarta-feira (28), também em entrevista ao programa Rádio Revista Cidades, da Rádio Cidade, Jones Bosio rebateu as colocações de André Vechi a seu respeito.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A MATÉRIA SOBRE ENTREVISTA DE JONES BOSIO.

Dê sua opinião, antes leia os Termos de Uso
Dúvidas ou Sugestões